Transgênicos sem controle: Greenpeace revela novas evidências de contaminação causada pelo arroz transgênico da Bayer

Notícia - 9 - out - 2006

Resultados de testes divulgados hoje pelo Greenpeace Internacional mostram que variedades de arroz vendidas na região do Oriente Médio também foram contaminadas pelo arroz geneticamente modificado ilegal da Bayer, plantado em campos experimentais nos Estados Unidos. A contaminação provocada pelo arroz da Bayer já foi detectada em nove países e resultou em medidas restritivas de importação contra os Estados Unidos em diversas regiões do mundo.

A contaminação no Oriente Médio tem graves implicações globais, porque de lá o arroz é novamente exportado para países da Ásia. Hoje, ativistas do Greenpeace ofereceram tigelas de arroz simbólicas, com pontos de interrogação, para os ministros da agricultura que compareceram ao Congresso Internacional do Arroz, em Nova Déli, desafiando-os a agir imediatamente para prevenir a contínua contaminação do alimento mais básico do mundo.

Ministros da Agricultura de oito países (China, Indonésia, Índia, Laos, Nepal, Filipinas, Tailândia e Vietnã) estão participando do Congresso para estabelecer a agenda para a produção do arroz e sua exportação nos próximos cinco anos, discutindo assuntos comerciais e também inovações científicas e soluções sustentáveis para a produção do arroz. Ironicamente, Bayer e Monsanto - as duas principais defensoras da indústria de biotecnologia - estão patrocinando do Congresso Internacional do Arroz, o que as coloca em posição chave para influenciar a agenda do encontro em seu benefício.

"O arroz contaminado no Oriente Médio é mais um problema para a indústria americana do arroz, que já sofre com recalls de produtos, exigências de testes, restrições à importação e cancelamento de pedidos de diversos países", afirma Divya Raghunandan, coordenadora da campanha de engenharia genética do Greenpeace na Índia. "Agora, mais do que nunca, está claro que as plantações transgênicas oferecem um sério risco e que o mito dos 'campos experimentais controlados' é perigoso. Qualquer país que permita a plantação de produtos transgênicos, mesmo em campos experimentais, está expondo seus agricultores e comerciantes de produtos agrícolas a um desastre econômico e ambiental. A única solução é a proibição total desses produtos", acrescentou Raghunandan.

O Greenpeace convocou governos a proteger esse produto básico da alimentação mundial estabelecendo um plano claro de ação contra catástrofes similares, controlando a contaminação genética de plantações e responsabilizando a Bayer por seus produtos contaminados.

"A extensão da contaminação exige uma resposta urgente. Esse arroz e seus produtos derivados podem estar nas prateleiras dos supermercados em qualquer lugar do mundo", alertou Jeremy Tager, coordenador da campanha de engenharia genética do Greenpeace Internacional. "Nós pedimos aos ministros da Agricultura de todo o mundo que ordenem testes imediatos em todos os produtos que possam ter sido expostos à contaminação do arroz transgênico ilegal, e que imponham também controles rígidos de importação à qualquer produto que venha de países que possam ter plantado essa variedade geneticamente modificada. Será preciso um trabalho global e coordenado para assegurar que cidadãos de todas as partes estão protegidos de produtos contaminados por transgênicos", afirmou Tager.