Restaurantes filipinos se recusam a servir arroz transgênico a clientes

Notícia - 26 - ago - 2008
Principais estabelecimentos da capital Manila aderem à campanha do Greenpeace por arroz livre de transgênicos no país.

Ao se recusarem a servir arroz transgênicos a seus clientes, as principais cadeias de restaurantes de Manila, nas Filipinas, demonstram respeito ao consumidor e ao meio ambiente.

Os principais restaurantes das Filipinas se juntaram ao Greenpeace para proteger o arroz, mais importante alimento do país, das ameaças dos transgênicos.

A campanha "Restaurantes com arroz livres de transgênicos", lançada nesta quarta-feira, pretende juntar o compromisso de estabelecimentos de todo o país para servirem apenas arroz não-transgênico. O projeto é parte da campanha "Eu amo meu arroz livre de transgênicos", movimento público iniciado pelo Greenpeace para manter o arroz do país livre da contaminação genética. O lançamento foi feito no restaurante Fish and Co., que pertence ao grupo Bistro, um dos maiores do país.

"O arroz é o alimento mais importante das Filipinas e parte integral de nossa vida e cultura. Mas são poucas as pessoas aqui que sabem que o arroz está ameaçado da contaminação transgênica. A campanha com os restaurantes não serve apenas para envolver o público no movimento para manter o arroz livre de transgênicos. Visa também assegurar aos consumidores que o arroz que estão comendo está livre desses organismos geneticamente modificados que representam sérias ameaças à biodiversidade, à vida dos agricultores e à saúde humana", afirma Daniel Ocampo, da campanha de Engenharia Genética do Greenpeace Sudeste Asiático.

Além de servir apenas arroz não-transgênico, o grupo Bistro se comprometeu a colocar posters da campanha em todos os seus 27 restaurantes no país, e distribuir folders explicativos a seus clientes. Outras grandes cadeias de restaurantes vão aderir à campanha nas próximas semanas.

As campanhas do Greenpeace contra os cultivos e produção de alimentos geneticamente modificados estão baseadas nos princípios de sustentabilidade, proteção da biodiversidade e acesso das pessoas a alimentos seguros e nutritivos. Os transgênicos são uma tecnologia desnecessária e indesejada que contamina o meio ambiente, ameaça a biodiversidade e coloca riscos inaceitáveis à saúde humana.

Leia também:

Em mais um golpe à biodiversidade brasileira, algodão da Bayer é aprovado

Áustria desafia Comissão Européia e proíbe importação de milho transgênico

Consuma sem culpa: chocolates Hershey's estão livres de transgênicos