Porto de Paranaguá está pronto para receber soja não-transgênica

Notícia - 26 - nov - 2003
Entidades celebram o fim da limpeza do porto; último navio carregado com soja transgênica deve partir hoje

Junto a diversas entidades e à administração portuária paranaense, o Greenpeace participou nesta manhã de uma mobilização que celebrou a conclusão da limpeza do Porto de Paranaguá (PR). Alguns ativistas da organização ambientalista uniram-se a cerca de 200 manifestantes e distribuíram o "Guia do Consumidor - lista de produtos com ou sem transgênicos", enquanto outros penduravam uma faixa com os dizeres "Faça como o Paraná: diga não aos transgênicos", em frente ao silo público. A mobilização teve a participação do superintendente da administração dos portos de Paranaguá e Antonina (APPA), Eduardo Requião.

Desde a aprovação da legislação estadual que proíbe o plantio, a comercialização e a utilização dos portos paranaenses para exportação e importação de transgênicos (1), as autoridades competentes têm demonstrado eficiência em implementar as normas estabelecidas. O último navio carregado com soja transgênica do porto deve deixar o local hoje.

A CLASPAR (Empresa Paranaense de Classificação de Produtos), responsável pelas adequações técnicas do porto, já havia iniciado o processo de limpeza do local a fim de evitar a contaminação de outras sementes, e disponibilizá-lo para os agricultores que desejarem armazenar grãos de soja não-transgênica.

"Os esforços realizados no Paraná no sentido de fazer cumprir a legislação estadual têm comprovado que, quando há vontade política, é possível realizar a fiscalização adequada e garantir no mercado interno e externo a oferta de grãos não-transgênicos", disse a assessora da Campanha de Engenharia Genética do Greenpeace, Gabriela Vuolo. "Os consumidores de todo o país podem contribuir com essa campanha escolhendo produtos que não utilizem organismos geneticamente modificados em sua composição, incentivando assim outros Estados produtores de soja a seguirem o exemplo do Paraná".

O Greenpeace lançou no dia 16 de outubro a Campanha de Consumidores "Não Engula Essa!", cujo objetivo é alertar a população sobre produtos que podem conter transgênicos. Distribuindo o guia e motivando o debate e a participação da população na discussão sobre o assunto, a organização tem levado a vários segmentos da sociedade informações sobre os

(1) No dia 14 de outubro de 2003, a Assembléia Legislativa do Paraná aprovou uma lei que proíbe a comercialização e plantio de organismos geneticamente modificados no Estado. Também foi vedada a importação e exportação de transgênicos pelos portos de Paranaguá e Antonina. A proibição é válida até 2006.