Nestlé atende a vontade do consumidor e decide não utilizar transgênicos

Notícia - 30 - set - 2003
Em documento enviado hoje ao Greenpeace a empresa garantiu oferecer ao consumidor produtos livres de transgênicos

Na contramão da decisão do governo federal de autorizar o plantio de soja transgênica no Brasil, a Nestlé, maior indústria de alimentos do país, enviou hoje um documento ao Greenpeace se comprometendo a não utilizar ingredientes geneticamente modificados em seus produtos.

A decisão da Nestlé respeita a preferência do consumidor brasileiro por produtos livres de transgênicos e sinaliza ao agricultor a crescente demanda do mercado por matéria-prima não transgênica. Segundo uma pesquisa de opinião realizada pelo Ibope em dezembro de 2002, 71% dos entrevistados preferem consumir alimentos que não contenham OGMs.(1)

"O comprometimento da maior indústria alimentícia do Brasil e do mundo é um incentivo para que pequenas e médias indústrias de alimentos ofereçam garantias semelhantes. A população ganha cada vez mais opções para evitar o consumo de alimentos transgênicos e rejeitar a decisão do presidente Lula de legalizar este cultivo", afirmou a coordenadora da Campanha de Consumidores do Greenpeace, Tatiana de Carvalho.

No documento enviado à organização, a Nestlé atesta que exige de seus fornecedores, além da garantia da ausência de transgênicos em derivados de soja e milho, que os produtos de origem animal não sejam provenientes de animais alimentados com transgênicos.

Diversos setores da sociedade têm se manifestado contrários à medida provisória 131. Na última segunda-feira, 29 de setembro, o Greenpeace, o IDEC (Instituto de Defesa do Consumidor), o ISA (Instituto Socioambiental), a ONG Direito do Planeta Verde, a ANPR (Associação Nacional dos Procuradores da República) e a AJUFE (Associação de Juízes Federais), enviaram uma representação ao Procurador Geral da República solicitando uma ação direta de inconsticionalidade (ADIN) perante o Supremo Tribunal Federal. Hoje o Partido Verde encaminhou diretamente ao STF uma ADIN contra a medida provisória.

"A lista de produtos com ou sem transgênicos publicada pelo Greenpeace é uma excelente ferramenta para todos os cidadãos que desejam participar desta campanha por alimentos livres de transgênicos. Para que mais empresas se comprometam a não utilizar OGMs em seus produtos, precisamos da ação decisiva dos consumidores", completou Tatiana.

O "Guia do consumidor - lista de produtos com ou sem transgênicos" está disponível no site do Greenpeace em uma versão de fácil impressão. Os produtos da Nestlé serão retirados da lista vermelha do Guia, e incluídos na lista verde, junto às empresas que garantem alimentos livres de transgênicos.

(1) A pesquisa de opinião foi realizada entre 7 e 10 de dezembro de 2002 com 2 mil entrevistados, a partir de 16 anos de idade, em todas as regiões do Brasil. Confira íntegra da pesquisa do IBOPE de Dezembro de 2002.

(2) Confira a íntegra da carta enviada pela Nestlé ao Greenpeace.