Greenpeace denuncia: produtos da Perdigão contêm transgênicos

Notícia - 31 - jul - 2002

Ativistas do Greenpeace foram hoje à sede da Perdigão, em São Paulo, comunicar o resultado de um novo teste que encontrou soja transgênica em três produtos : Lanche Chester, Hamburguer de Frango e Almôndegas de Carne.

Os vinte e cinco ativistas bloquearam parcialmente a saída dos caminhões, colaram adesivos nos mesmos com a mensagem "pode conter transgênicos" e explicaram a funcionários da empresa o motivo do protesto. O Greenpeace tentou entregar uma cópia do laudo emitido pelo laboratório chinês DNA Chips (1), que realizou o teste, à diretoria da empresa, junto com uma carta solicitando que a Perdigão deixe de usar transgênicos em seus produtos (2); a empresa, no entanto, recusou-se a receber o material e nem sequer permitiu que a carta e o laudo fossem protocolados na portaria do prédio. A entidade ambientalista informou que enviará hoje os laudos e a carta por correio.

O Greenpeace já testou seis produtos da Perdigão (3) e, em todos eles, o resultado foi positivo. A Mortadella Bollognella, testada em março deste ano, apresentou 12% de soja transgênica, que é a maior quantidade já encontrada em um teste encomendado pelo Greenpeace no Brasil.

A soja transgênica leva ao aumento do uso de agrotóxicos e pode causar a perda de biodiversidade. Além disso, ainda não existe um consenso dentro da comunidade científica de que os transgênicos sejam seguros para o consumo humano.

Embora o plantio, a comercialização e a importação de transgênicos estejam proibidos no Brasil por uma sentença judicial (4), a omissão do governo federal em realizar qualquer tipo de controle e fiscalização tornam a contaminação de transgênicos no país um fato. "Devido à existência de plantios ilegais, somente as indústrias de alimento que adotam medidas de controle podem evitar a utilização de transgênicos em seus produtos", explica Tatiana de Carvalho, assessora da Campanha de Engenharia Genética.

O Greenpeace está encaminhando os laudos laboratoriais à ANVISA (Agência Nacional da Vigilância Sanitária), às Agências da Vigilância Sanitária Estaduais e ao PROCON de todos os estados. Junto com o laudo, está sendo enviada uma carta que requer o imediato recolhimento dos lotes testados das prateleiras dos supermercados.

"No Brasil, já existem diversas empresas se comprometendo a não utilizar transgênicos. Enquanto a Perdigão não fizer o mesmo, ela continuará na lista vermelha do "Guia do Consumidor" do Greenpeace (5). A população tem o direito de escolher o que quer comer", acrescentou Tatiana.