Arroz transgênico dos EUA é vendido ilegalmente em Pequim

Notícia - 19 - nov - 2007
Produto foi encontrado pelo Greenpeace em dois supermercados da capital chinesa, revelando a frouxidão do governo americano no controle da exportação de produtos com ingredientes geneticamente modificados.

Apesar de não ter autorização para ser exportado e muito menos vendido fora dos Estados Unidos, o arroz LL601 da Bayer foi encontrado pelo Greenpeace à venda em dois supermercados de Pequim, na China. O caso revela a fragilidade do controle de exportação de produtos com ingredientes transgênicos por parte do governo americano.

"Sem dúvida o governo americano está no limite da responsabilidade aopermitir a exportação de produtos contaminados pelo arroz transgêniconão-autorizado", afirma Weizhen Huang, da campanha de Alimentos eAgricultura do Greenpeace China. "Também pedimos às autoridadeschinesas que reforcem suas medidas de biossegurança para evitar que acontaminação transgênica ocorra novamente."

O Greenpeace coletou 10 amostras de arroz americano de dois supermercados em Pequim, em agosto e setembro. Após testes realizados em um laboratório independente, ficou comprovado que amostras do arroz Mahatma continha o arroz transgênico LL601, resistente a herbicida. As autoridades chinesas não aprovaram o LL601 ou qualquer outro arroz transgênico para importação ou venda comercial no país.

O arroz LL601, da Bayer, foi aprovado para cultivo comercial nos Estados Unidos em 2006, depois de ter contaminado produtos americanos a base de arroz. Atualmente, os Estados Unidos são o único país no mundo que permite o plantio comercial e a venda de arroz transgênico.

O arroz LL601 contaminou as exportações americanas de alimentos para pelo menos 32 países, incluindo a China, que não aprovou a importação desse produto.  Estima-se que a contaminação causada pelo arroz LL601 custou mais de US$ 1 bilhão aos agricultores e à indústria de alimentos. Confira aqui os detalhes desse caso.

O arroz é o alimento básico mais consumido no mundo, chegando à mesa de cerca de 2,5 bilhões de pessoas todos os dias, e pesquisas mostram que os consumidores chineses são contra o arroz transgênico. Segundo pesquisa encomendada pelo Greenpeace à IPSOS, 77% dos entrevistados afirmaram preferir arroz comum ao transgênico.

Saiba mais:

Contaminação provocada pelo arroz transgênico da Bayer causa prejuízos de mais de US$ 1bi - confira detalhes no sumário executivo do relatório Negócio Arriscado.

Arroz-bomba agita feira de transgênico na Tailândia

Tags