Greenpeace volta ao Ártico

11 comentários
Notícia - 12 - mai - 2010
Nova expedição estudará o impacto do gás carbônico nos oceanos, o derretimento do gelo na região e a situação dos ecossistemas.

Expedição em 2009 ao Ártico documentou impactos das mudanças climáticas ©Greenpeace/Nick Cobbing

O Ártico está esquentando mais rápido do que qualquer outro lugar do planeta. À medida que o gelo reduz, gradualmente, ano após ano, o frágil ecossistema marinho da região é afetado e os pesqueiros avançam para o norte, explorando estoques antes fora de seu alcance. Ao mesmo tempo, os níveis elevados na atmosfera de dióxido de carbono (CO2), principal gás do efeito estufa, mudam a composição química da água, deixando-a mais ácida – e aumentando o risco à vida marinha.

Nesse contexto, o Greenpeace lança hoje a expedição "Ártico sob pressão". O navio Esperanza parte nesta semana, com cientistas a bordo, para investigar as mudanças que o Ártico tem sofrido, e mantém o trabalho durante o verão no Hemisfério Norte. A expedição ajudará a formar um quadro mais claro sobre os impactos ambientais na região.

Veja as primeiras fotos da expedição "Ártico sob pressão":

Na primeira etapa, o foco é a acidificação dos oceanos. Eles funcionam como uma "esponja" e absorvem, a cada ano, cerca de 8 bilhões de toneladas de CO2 do ar, muito desse volume gerado pela queima de combustíveis fósseis. Esse processo, contudo, tem um limite. Se as emissões de CO2 continuarem a subir, em 2060 a acidez dos oceanos pode ser 120% mais alta – maior mudança sofrida pelos mares em 21 milhões de anos. A sobrevivência dos corais, plâncton e outros seres marinhos fica criticamente ameaçada.

Espera-se que a região ártica seja a área mais atingida por esse processo químico, porém ele é uma ameaça a toda vida oceânica. Para coletar mais informações sobre esse campo, cientistas do Instituto Leibniz de Ciências Marinhas (IFM-Geomar), da Alemanha, carregam no Esperanza 30 toneladas de equipamentos científicos, incluindo nove sistemas de monitoramento marinho chamados "mesocosmos", que serão lançados nas ilhas Svalbard. Eles esperam coletar dados suficientes para formar o estudo mais amplo já feito sobre a acidificação.

Veja como foi a expedição do Greenpeace ao Ártico no ano passado:

Menos gelo

Na tentativa de conquistar "direitos de exploração" dos estoques pesqueiros, de novas rotas de transporte e de petróleo, gás e minerais, os países olham com interesse o contínuo derretimento no Ártico. A segunda etapa da expedição vai estudar e documentar a formação de uma nova rota marítima, que se formou no Ártico com o degelo. A indústria avança nessa nova fronteira, desde já colocando em risco o ambiente e a vida selvagem na região, por conta de um modelo exploratório sem controle.

O cientista Peter Wadhams, diretor do Grupo de Física Oceânica Polar da Universidade de Cambridge (Grã-Bretanha), vai embarcar no Esperanza em agosto para analisar a espessura do gelo e o ritmo de derretimento, em continuidade ao trabalho iniciado na expedição do Greenpeace realizada no ano passado.

O Oceano Ártico merece ser totalmente protegido como uma reserva marinha. O Greenpeace pede uma moratória de todas as atividades industriais na região, incluída a pesca. Algo similar já foi feito na Antártida, onde uma moratória assinada em 1991 por 39 países proíbe, por 50 anos, todo tipo de exploração mineral.

Apesar das diferenças entre os dois polos – a Antártida é um continente cercado pelo oceano, enquanto o Ártico é um oceano cercado por terra –, ambos têm muito em comum. Seus ecossistemas são incrivelmente frágeis e suscetíveis às atividades humanas.

11 Comentários Adicionar comentário

kelly says:

Sim, se todos nos unirem e alertar á sociedade sobre o que está acontecendo com o planeta, podemos sim, tentar reverter essa situaçao.....

Enviado 24 - jun - 2010 às 13:43 Denunciar abuso Reply

Read More Read Less

@Jvitor says:

A união faz a força. Estamos sempre com vocês!

Enviado 2 - jun - 2010 às 17:48 Denunciar abuso Reply

MaariaFer says:

é isso ai , quanto mais junto mais nós fazemos

Enviado 29 - mai - 2010 às 23:28 Denunciar abuso Reply

EDSON ARRABAL says:

Novamente vamos acompanhar a expedição. Estamos ligados!!

Enviado 27 - mai - 2010 às 0:32 Denunciar abuso Reply

luiza dias says:

Estou muito feliz ,uma estudante que luta por um mundo melhor ,sou nova por aqui e me sinto previlegiada por pode contribuir nessa luta de vocês ...

Enviado 24 - mai - 2010 às 21:41 Denunciar abuso Reply

Read More Read Less

Li says:

É isso ai galera todo mundo tem que se unir!!!
só assim consiguiremos melhorar
o futuro

Enviado 21 - mai - 2010 às 22:20 Denunciar abuso Reply

juhhcalegario says:

Concordo com vcs!

E fico feliz em saber que tem tanta gente que se preocupa com o nosso planeta, tanto pelo numero de visitantes no site,...

Enviado 20 - mai - 2010 às 18:53 Denunciar abuso Reply

Read More Read Less

Ju Azzi says:

Estamos com voces!

Enviado 17 - mai - 2010 às 1:44 Denunciar abuso Reply

Paulo Antonio says:

Todos poderiam se conscientizar, e lutar para reduzir
a quantidade de CO2 lançado diariamente, seja em grande
escala seja o consumo ...

Enviado 14 - mai - 2010 às 21:48 Denunciar abuso Reply

Read More Read Less

Maaby says:

Concordo com a Èrika...as baleias estam mesmo em perigo
e nós devemos ajuda-las..antes que elas entrem totalmente
em extinç...

Enviado 13 - mai - 2010 às 23:02 Denunciar abuso Reply

Read More Read Less

1 - 10 de 11 resultados.

Postar um comentário 

Para postar um comentário, você precisa estar logado.