Decidida a conter os ânimos de seu eleitorado, assustado com o acidente de Fukushima, no Japão, a Alemanha anunciou o fechamento de suas usinas nucleares até 2022. Mas, se de um lado o país dá sinais de preocupação com o meio ambiente, de outro não desiste de fazer dinheiro com esta tecnologia perigosa.

Reportagem publicada hoje no Financial Times Deutschland, revela que o governo alemão estendeu a concessão de um fundo de 1,3 bilhões de Euros, conhecido como garantia Hermes. Na prática, a Alemanha atuará como fiadora de outros bancos, para que custeiem 25% da construção de Angra 3 no Brasil.

De acordo com o jornal, Angra 3 será construída pela empresa Francesa Areva, responsável por empregar mais de 5.000 pessoas na Alemanha.

Segundo fontes citadas pelo jornal, o governo alemão considera o Brasil um importante parceiro político e econômico e, por isso, respeita a decisão brasileira de expandir sua geração elétrica nuclear.

No papel de fiador da aventura nuclear brasileira, a Alemanha se reserva o direito de analisar e inspecionar periodicamente os padrões de segurança utilizados na construção de Angra 3 – um projeto de mais de 35 anos que o governo Dilma insiste em tirar da gaveta.

Indecisão política

O fantasma de Fukushima também teve eco no Brasil, apesar da determinação de levar adiante a terceira usina nuclear em Angra. O governo dá sinais ambíguos sobre seu plano de expansão nuclear, que previa a construção de mais quatro reatores nas regiões Sudeste e Nordeste do país.

Semana passada, o ministro de Minas e Energia, Édison Lobão, anunciou que, até 2012, seriam decididos os locais para a construção das quatro novas usinas a curto prazo. Também estariam sob avaliação outras usinas em todo o país.

O desmentido veio em seguida, pela boca do presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Mauricio Tolmasquim. Segundo ele, não há nenhuma outra planta nuclear prevista no curto prazo, com exceção de Angra 3.

Enquanto os membros do próprio governo não se entendem, a população é presenteada com a desinformação.